Todos os posts sobre Food
6 de junho de 2017

Enquanto o blog ficou às moscas, eu aproveite e fiz o quê? Estudei muito, trabalhei muito, fiz algo útil para meu país. Enchi a pança, obviamente. E pra provar o que estou falando, selecionei algumas fotos de comidinhas do mês passado pra postar aqui. Afinal, se tem algo fotogênico, esse algo é COMIDA.

Casa Bauducco

Um dos lugares mais gostosinhos pra fazer uma paradinha e tomar um café no shopping pra mim é a Casa Bauducco. Soy loca pela fatia de panetone tostado com açúcar e canela. Dessa vez, ainda terminei de enfiar o pé na jaca e pedi uma porção de Nutella pra acompanhar. A adiposidade abdominal agradece.

 

Abbraccio

Falando em adiposidade, eu nunca tinha comido essa sobremesa do Abbraccio, mas a garçonete super recomendou. É a tal da Crostata di Banana e crema di nocciole, uma massa folhada recheada com banana e creme de avelã. Já deu pra perceber que TOP é pouco, né?

 

Abbraccio

Ainda no Abbraccio, queria aproveitar o espaço e perguntar: quem vai em restaurante italiano e pede salada? Pois é. Porém, essa pedida talvez tenha sido melhor que a própria massa. Camarão, gorgonzola, morango e nozes, tudo juno na salada. Quem vai?

 

NB Steak

O que uma pessoa que não come carne vai fazer no NB Steak? Comer salada e chorar pro gerente liberar um menu só de frango, é claro. Lugar delícia, saladas mais ainda. Recomendo principalmente pra quem come carne, dãr.

 

Doceria

Fico aqui imaginando o dia inspirado em que uma vovó muito fofa e maravilhosa inventou o incrível bolo de coco. Aquele que vem embrulhado no papel alumínio e apesar de ser gelado, faz nosso coração esquentar de felicidade só de lembrar. Junto com um cappuccino em um dia frio, foi uma das coisas mais delicinhas do meu mês de Maio. Direto da cafeteria do lado do trabalho.

 

Vocês também ficam felizes demais com comida? <3

31 de maio de 2015

ACORDAAAA MENINA.
Hoje vou inaugurar aqui no blog, uma catiguria que há muito enrolo para criar: Cozinhando e engordando.

Provavelmente estas receitas serão um modo de turbinar aqueles posts do Buzzfeed de expectativa x realidade, obviamente na parte da realidade. Se eu gosto de cozinhar? Não muito. Mas gosto de comer, principalmente doces e por isso vi aí uma brecha para explorar este talento culinário que o mundo ainda não descobriu.

Sem mais delongas, a primeira receita é o famoso muffin de canela com recheio de chocolate meio amargo que há anos alegra o café da tarde aqui de casa e provoca uma fila no banheiro. Ironicamente, quem me ensinou esta receita foi a própria diva Namaria em um programa muito antigo. Assisti, anotei, fiz, gostei, repeti durante 10 anos e compartilho agora com vocês. Pega o papel e caneta e vem comigo!

img1

– 2 xícaras de farinha de trigo
– 50 g de manteiga derretida (dá umas 2 col. de sopa e eu derreto no micro mesmo)
– 200 g de chocolate meio amargo (1 barra mais ou menos)
– 1 pote de iogurte natural (sem açúcar)
– 1 ovo ligeiramente batido
– 1 xícara de açúcar (porque ser fitnesse sempre cansa, né gente)
– 3 col. (chá) de canela (se você não gosta de canela, passa mais tarde)
– 2 col (chá) de fermento

1 – Primeira coisa é misturar todos ingredientes secos (farinha, açúcar, canela e fermento) em uma tigela. Reservar.
2 – Depois todos os líquidos (ovo, manteiga, iogurte) em outra tigela.
3 – Junte os secos e molhados e saia cantando Sangue Latino.  Não, claro que não.
4 – Misturando tudo, deve ficar algo parecido com essa belezinha da foto.

Até aqui muito difícil hein?

img3

5 – Eu usei forminhas de cupcakes para assar, mas você pode usar uma forma de bolo normal (pequena) untada com manteiga e farinha que dá no mesmo.
6 – Coloque uma parte da massa, pegue quadradinhos de chocolate meio amargo e posicione no centro.
7 – Cubra com o restante da massa. Não tem problema se não cobrir tudo ou ficar feio (olha o meu que desgraça) porque como tem fermento, o treco vai crescer e ficar bão.
8 – Asse em forno a 200°C por uns 20 minutos. Para saber se está bom, espete um palito e veja se sai seco e o chocolate já derreteu. A massa fica douradinha por cima.

img4

O ideal é comer logo que sai do forno porque o chocolate fica derretido, quentinho, uma delícia. Quando esfria, o chocolate endurece, mas aí é só colocar uns segundinhos no microondas e fica bom de novo. Ah, se for fazer em forma de cupcake, recomendo usar de silicone, porque gruda demais no papel. Como vocês podem ver na foto, não fica a coisa mais linda do mundo, mas é bom, eu garanto. Pra acompanhar um cafezinho… SÉLOKO.

17 de fevereiro de 2015

Há umas semanas tive a ideia de fazer um post meio saudosista com doces de infância que não encontramos mais nos mercados hoje em dia. Sim, eu sei que o Buzzfeed tá lotado de posts assim. Mas queria falar de alguns específicos que EU sinto falta ou que não vemos muito nesses posts que falam do assunto nessa imensidão internética.

imagem1

Começando pelo concorrente do chocolate da Turma da Mônica, o Lacta que pouca gente se lembra e que levava a imagem dos personagens da Disney. Eu gostava, apesar de preferir a versão com a Mônica e seus amigos. O chocolate Surpresa todo mundo lembra, e eu sei lá que ~dorgas~ eles colocavam na composição, mas é fato que o chocolate ficava mais gostoso só pelo formato. O chocolate Quik era o primo pobre do Kinder Chocolate , só que 3x mais doce e 10x pior. O Milka a que me refiro nem deve ser esse da imagem 4 que coloquei, mas vale a título de foto ilustrativa. Era um fabricado aqui no Brasil (isto é, não é do naipe dos Milkas que encontramos em bombonieres importadas hoje e que custam meio rim cada um), vinha em uma barra mais ou menos no tamanho do Suflair, e tinha uma camada de biscoito, outra de creme, chocolate e MEUDEUS era o melhor do mundo. Lembro que comia um toda tarde jogando GEX enter the Gecko no PS1. Não sei como nunca fui uma criança obesa. Good times.

imagem2

Essas bolachinhas da Mônica eram a coisa mais dura, seca e deliciosa do mundo. Minha mãe comprava aquela que vinha na caixa, e era uma ótima e calórica opção pro lanche da escola. O Palhacitos da Triunfo foi um produto que acabou gerando um meme que perpetuou por gerações. Ou vai dizer que você, naquele dia todo gracioso e piadista, nunca ouviu a piada: E AÍ MEU FILHO, COMEU PALHACITOS HOJE? Era tipo uma variação de DORMIU COM O BOZO? Enfim, a bolacha não era lá essas coisas mesmo. Fofys é hors-concours, o supra-sumo dos docinhos de infância. O imbatível, poderoso e gostoso pra car&%$! Sinto saudades desses ursinhos, muita mesmo. Mas fico me perguntando se fosse comer hoje, ia achar essa delícia toda ou é só a vontade inflada pela falta do biscoito. O legal era ir decepando pernas, braços, cabeça e comer a barriguinha por último #tifofinho. A Trakinas de banana eu só coloquei aí em homenagem ao meu irmão que era louco por isso (e inclusive lotou a caixa de e-mail da Nabisco quanto ela saiu de cena). Eu achava ruim pra caceta… essa, a de limão e a de frutas vermelhas. CREDO! Quando um belo dia vi que nos mercados só tinha a Trakinas original de morango e chocolate, parecia que tinha finalmente acordado de um sonho ruim.

imagem3

Esses pirulitos de chupetinha eram puro açúcar moldado no palito com corante a torto e a direito. Mas ô treco delícia. Fiquei parecendo criança quando, ano passado, encontrei isso em uma lojinha de bairro no interior de Minas. Arrozinho doce de isopor era uma delícia, especialmente quando grudava no céu da boca e entrava no buraquinho dos dentes. E ainda vinha com um anelzinho muito fashion! O número 11 também é APENAS uma foto ilustrativa – sei que não temos o gringo Lucky Charms aqui – mas lembro que em uma época linda e distante tivemos um cereal com marshmallows sim senhor. E era uma delícia. Não lembro marca e revirei o Google atrás de pistas sem sucesso :( A imagem 12 era o que me deixava ansiosa pra ir à pizzaria todas as vezes. ZUCOT. Sorvete no meio do biscoito. E não era um biscoito crocante, era murcho pra caramba, mas minhanossa, isso era bom demais. Já encontrei pra vender no Pão de Açúcar há pouco tempo… mas era caríssimo. Nunca haverá um chiclete como Ping Pong. O azul, claro (aliás, alguém realmente comprava o de hortelã?).

imagem4

E o melhor, como sempre, fica pro final. FRUMELO. Que era somente a MELHOR BALA DO MUNDO. Era uma baita bala e deixava 7 belo comendo poeira, diga-se de passage. Sério, a maior revolta da minha vida até hoje é não entender por que causa, motivo, razão ou circunstância essa bala não existe mais. Porque não era possível que fosse por vender pouco. Só meu pai comprava uns 30kg por semana. Aliás, vou até mandar um e-mail pra Lacta sobre esse assunto. Essa atitude não pode passar impune. Galera fica fazendo abaixo assinado pra tudo, mas pra volta da Frumelo ninguém faz? Que absurdo é esse? #desabafei

Bônus: lembrei há pouco de uma bolacha recheada do Senninha, que era de UVA, e muuuuito delícia. Não achei nada nem parecido no Google, embora eu tenha colocado na busca até mesmo a palavra biscoito, traindo o movimento paulista.

Página 1 de 11