30 de abril de 2017

Dei aquela sumida básica, mas para a tristeza de muitos e alegria de poucos, voltei! E com essa tag nova – 12 LOOKS – em que escolho uma musa (ou muso, quem sabe) inspiradora, linda, dona de LUKS maravilhosos que fazem a gente suspirar de emoção.

Eee pra inaugurar a tag, trago aqui ao meu lado, ninguém menos que Blake Lively, aquele ser único e poderoso que tem um Deadpool pra chamar de seu. Ela arrasa no estilo, no marido, erra pouquíssimo e na maioria das vezes, suas escolhas pro Red Carpet são as minhas preferidas, muito sintonizadas, inclusive poderíamos ser bff.

 

Já confesso aqui que nunca nesta vida vi sequer um episódio de Gossip Girl, afinal já passei dois 14 anos faz tempo – BRINKS gente, eu assisto coisa pior, nada contra GG, inclusive tenho amigas que são. E sinceramente, faço a Glória Pires e não sei opinar sobre o talento dela como atriz, MAS QUEM TÁ AQUI pra falar de profissão? A gente quer falar de moda né mesmo? E Blake é quase unanimidade nesse quesito.

Mais um Blake que você respeita

Começando com dois lukis basicats, porém não menos desejáveis por isso. Jaqueta bomber e anabela, quem diria? Eu não diria. E esse tênis que ela tá usando na segunda foto?

Uma das coisas que mais gosto nos looks da Blake é o high-low que ela usa como ninguém. Quem um dia pensou em combinar a jaqueta de moletom da academia com um vestido branco de plumas e scarpin prata? (btw, esse look é Michael Kors). Ou jaqueta varsity com – de novo – plumas. Ousado, mas acho que os tons suaves ajudam, eu arriscaria.

Plena em Nova Iorque (credo, odeio a grafia de NY aportuguesada) de Elie Saab. Juntou Blake e Saab, meu coração dá pico de 140 em repouso, tô mal. E ao lado, de Michael Kors no desfile do próprio em 2014. Eu lembro que lá em 2014 quando vi essa foto pela primeira vez já amei essa roupa e agora tô amando mais.

Em 2013 em um evento da L’oreal com aquele sorriso no rosto de quem nunca vai precisar ficar tirando a uva passa do arroz, usando esse vestido lindíssimo, elegantíssimo e branquíssimo. E em outro evento da L’oreal no início deste ano percebemos que o bom gosto segue firme. O evento era de Dia dos Namorados e esse vestido de corações da SemSem é só amor. Combinado com esse scarpin de spikes Louboutin, socorro.

Bora pros looks Red Carpet. Os dois em tons nude, os dois bordados, os dois tombantes. O da esquerda no Festival de Cannes em 2016 e o da direita no Met em 2014. Amo quase igualmente ambos, mas se tivesse que votar, iria no da direita.

E claro que os dois melhores ficam pro final. Ambos em Cannes, ambos em 2014, ambos Gucci. Esse vermelho é meu preferido de todos da vida. Olha essa cor, esse caimento, essa fenda, ESSA MULHER. Amei o penteado também (não dá pra ver direito nessa foto mas é uma trança). E o preto e branco, minha nossa senhora da elegância, essa mulher é um combo de bom gosto, deslumbre e beleza.

 

O que vocês acham do estilo da Blake? Amam ou apenas curtem? Acham que estou exagerando ou ela poderia mais? Contem nos comentários!

13 de abril de 2017

Mas Heloisa, você só conhece esse estilista? Você é muito repetitiva, não acha? Não sabe falar de outra coisa?

Não, sim e mais ou menos.
 

Eu sei que às vezes parece que esse blog recebe incentivos ilícitos pra ficar falando de Elie Saab e Zuhair Murad, rostinhos libaneses presentes em 90% dos posts (mentira, é bem menos, pode conferir). Mas eu simplesmente não consigo evitar.
 
Em março, meu libanês preferido lançou a coleção Fall Ready to Wear e estou há mais de um mês com as mãos coçando pra compartilhar aqui. Hoje finalmente chegou o dia.
 
O dia em que a gente chora, baba, os olhos brilham, os passarinhos cantam, os sonhos renascem e os boletos continuam vencendo em cima da mesa da sala, trazendo a gente de volta pra realidade.

 

A coleção foi inspirada no Ballet Giselle, um balé do período Romântico, tradicional, lindo, leve e encantador. A coleção do Saab traz uma atmosfera mais dark pra esse universo, mas sem deixar de lado a delicadeza, percebida principalmente nas transparências, rendas e poás. Tudo isso em uma cartela de cores sensacional pra variar.

 

Fiz uma seleção com meus looks favoritos, bora ver!

Veludo, poá, transparência e Saab. Segura esse C-C-C-COMBRO BREAKER.

Um trabalho em bordados e tons de azul que causam mais arritmia que 2 litros de café.

Esse degradê parece de mentira, tamanha beleza. Vestido preto de rendas e veludo, meu coração é seu.

O veludo em cores absurdas e uma heroína estampada pronta pra salvar o mundo.

E se o estampado anterior não era suficiente, receba mais esse. Tem mood gótica, mas tem camponesa também.

E pra finalizar, uma galeria de fotos giga com mais preciosidades dessa coleção:
 


 
E aí, qual seu look preferido?
  
Fotos: Vogue.com

10 de abril de 2017

Era um dia como qualquer outro, entrei na farmácia com o único intuito de me pesar, mas qualquer um sabe que isso é praticamente impossível, afinal quando a gente passa dos 25, as farmácias ganham um significado novo, já perceberam? Já tem uns anos que tenho encarado farmácias como amostras do paraíso que Deus envia pra cá. Porém, com o agravante das $$tentações$$.
 

Tudo isso só pra dizer que fui cheirar um shampoo infantil de maçã verde e no momento exato que as partículas perfumadas do produto adentraram minhas narinas, fui transportada para o ano de 1995 e relembrei na hora de um perfume do Boticário de maçã verde. AH, o maravilhoso e esquisito poder do olfato.
 
Então hoje é mais um daqueles dias em que a nostalgia resolveu entrar pela porta da frente deste blog. Vamos dar as mãos e relembrarmos juntos de alguns itens que marcaram a minha – e com certeza a sua – infância?

PS. Não vale chorar, este é um blog feliz.

1. Esse batom que vinha sem corpo estava presente em todo estojo de maquiagem. Meu sonho era ganhar um big conjunto como esse da foto. Sonho, aliás, nunca realizado.
 
2. Sabonete de casinha do Snoopy da Davene. Clássico dos banhos de criança, cheirosinho e nada fácil de manusear com nossas mãozinhas infantis.
 
3. Angelical Touch foi uma linha da Angélica para o Boticário. Lembro de perfumar minhas Barbies com essa colônia. E lembro do batom que vinha com umas miçangas embaixo e tinha um cheiro muito gostoso.
 
4. Olha aí a linha que originou esse post. Imbatível como escolha de presente nos aniversários dos amiguinhos da escola.
 
5. Todo mundo fala desse batom moranguinho, mas ninguém lembra da uvinha e das maçãs. Lembro de querer retocar o batão na escola, mas não queria sujar o dedo então dava uns beijos nesse treco, HAHAHAHAHA.
 
6. Essa linha da Mônica, se não me engano, era de Camomila e foi sucesso total na época também.

 

1. Se antes eu usava esse rímel pra fazer duas mechas loiras e fingir que era a Geri das Spice, hoje dá-lhe tinta pra camuflar os fios brancos. Eu quase chorei (mentira, sou capricorniana) quando vi esse anúncio com a cara da – nada ousada – Milla Jovivich, porque lembro demais dessa imagem.
 
02. Eu tinha uns batons de potinho muito parecidos com esses da foto, mas não lembro da marca, só lembro do – de novo o poder mágico e teletransportador – cheiro.
 
03. Ma Chérie do Boticário. Na época da pré-adolescência esse era o presente número 1 para as amigas queridas. O perfume é tão sucesso que persiste até hoje.
 
04. Brilho da Avon, eu era viciada. Parece que a marca ainda vende. O mistério é reside em como eu conseguia ir pra escola parecendo que tinha beijado um frango assado. Usei tanto que esse deve ser o motivo da minha atual aversão a gloss e batom brilhante.
 
05. Eu tinha vários desses esmaltes Lapisinhos da Impala… e da Xuxa também! Lembro que quando minha mãe comprou eu não queria usar, porque sempre fui #teamangélica, mas as cores eram lindas e eu não consegui resistir.
 
Deve ter faltado muita coisa nessa lista, mas como a amnésia da pessoa é forte, fiquei até surpresa em relembrar tanto! E vocês, lembram de mais algum item que deveria figurar por aqui?
 
Créditos das fotos:
Loucas por Esmalte, É da sua época, La Vie, Propagandas de Gibi.

Página 1 de 212